Tema da redação do Enem 2018

Algo comum a todos que acessam a internet e a relevância do assunto em nosso cotidiano.

Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet, este foi o tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio – Enem na edição de 2018. Ainda que em oculto, pois muitos não têm este tipo de conhecimento, termos como algoritmos , trending topics e big data fazem parte do dia-a-dia dos internautas. Este assunto é de extrema relevância nos dias de hoje, vivemos na era do mundo digital onde as máquinas assumem o papel do homem. Assim como a luneta é extensão dos olhos, havemos de dizer que as mídias são extensões do nosso corpo.
Segundo dados do IBGE em matéria publicada no site de notícias G1 em fevereiro deste ano, o Brasil possui 116 milhões de pessoas conectadas à internet, o que corresponde a 64,7% de toda a população brasileira. Isto quer dizer que mais da metade dos brasileiros estão expostos a rede, ou seja, toda interação pressupõe que o usuário produza informações para o sistema e que no mesmo segundo se transformará em uma espécie de customização de perfil, onde os interesses dos usuários são armazenados no sistema e o conteúdo a ser acessado a partir deste momento será sempre de acordo com suas preferências.
As manipulações são decorrentes deste processo de identificação dos interesses de cada usuário, em meio a isso a máquina decide o que deve ser consumido e não mais o próprio internauta. Essas “Identidades culturais” formuladas pela máquina limitam a busca e o acesso à informações de maior importância a determinada pessoa. Diante disso, devemos estar atentos a tudo que clicamos e a tudo que está exposto na internet, pois podemos ser vítimas de nossas próprias ações.

Feliz Dia dos Professores!

O Educomunidade parabeniza todos os super-heróis que transformam vidas com o conhecimento.
Em especial, a professora Ana Rosa Vidigal, que inspira seus aprendizes a serem pessoas melhores e nunca deixou de acreditar nos sonhos e propósitos deles.

“A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda. – Paulo Freire

Segundo turno 2018: Como escolher seu candidato

As eleições de 2018 tiveram o seu primeiro turno no último domingo, 07 de outubro. Ao todo cada cidadão votou para cargos de Presidência da República, Senadores, Governador de estado, Deputado Federal e Deputado Estadual.
Agora, mesmo com o segundo turno, muitos eleitores ainda não escolheram seus candidatos. Se você faz parte desse público esse texto é para você. Listamos informações importantes e que precisam ser consideradas na escolha de candidato:
Os valores defendidos pelo candidato condizem com os seus?
É necessário a identificação de valores e princípios do candidato, para isso pesquise entrevistas, postagens e declarações dele sobre assuntos que exigem posicionamento imediato e diferenciado. É importante também realizar uma busca sobre o partido, grande influenciador na tomada de decisão daquele candidato.
Quais as propostas?
Esse é um dos fatores mais importantes a ser considerado na escolha do voto. Confira as propostas de educação, saúde, economia e dentre outras propostas. É relevante que leve em consideração a viabilidade das promessas feitas para analisar se são credíveis, factíveis e compatíveis com o cargo.
Quais partidos ele já passou e está coligado?
As ideologias dos partidos que o candidato já passou e está coligado conta muito sobre o que ele fará em seu mandato. É compatível com seus interesses e crenças?
Ressaltando que as coligações também servem para aumentar as chances de siglas pequenas e médias elegerem representantes para assembleias legislativas e Câmara dos Deputados – mesmo votando numa pessoa, os votos vão para a coligação e, por isso, nem sempre o nome mais votado é eleito.
Quem o substituirá em sua ausência?
Você precisa saber quem é o vice ou suplente daquele candidato, se ele também está de acordo com ideologias e principalmente seu histórico político. Esses são cargos muito importantes, que precisam de atenção e que se não cumprirem requisitos impostos pela justiça Eleitoral podem ser barrados.
Histórico político
Identifique os projetos políticos anteriores aprovados ou somente proposto e se há envolvimento em processos de corrupção. Averigue também como é bancada a campanha eleitoral.
Após esse passo a passo, escolha seu candidato e cumpra seu papel como cidadão.

Eleições 2018: Com quantas propostas se faz um presidenciável?

Há tempos não nos deparamos com um período eleitoral tão caótico ou vemos uma quantidade tão grande de candidatos em destaque e campanhas online tão acaloradas, estas, que acabaram ofuscando até tanto o cobiçado horário eleitoral na TV quanto o na rádio. O brasileiro nunca esteve tão indeciso e inseguro diante da massiva variedade de candidatos e propostas. Mas quais seriam estas propostas?
Diante do cenário nitidamente fragmentado, pode se dizer que esta será mais uma eleição decisiva na vida dos brasileiros bem como um marco memorável na história da nossa democracia. Com propostas de diferentes interesses e ideologias os candidatos seduzem grandes massas neste último período eleitoral, a fim de solidificarem suas campanhas.
Com alguns direitos em xeque e outros prestes a serem conquistados os presidenciáveis traçaram planos para projetos sociais e instituições já conhecidas pelos brasileiros como o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Sistema Único de Saúde (SUS) e o Bolsa Família.
Nesse caldeirão de ideologias, opiniões e propostas os candidatos travaram grandes embates, e o choque de opiniões foi inevitável. Propostas como: Reindustrialização do Brasil, plebiscito sobre aborto, armamento da população, cortes e investimentos em programas sociais também foram debatidas e não só fomentaram discussões como também dividiram a opinião do eleitorado brasileiro que vai às urnas amanhã.

Agora no segundo turno, devemos nos atentar ainda mais

as propostas dos candidatos, você pode visualizar clicando aqui.

A Linguagem corporal e qualidade na transmissão de conteúdo

Finalização do projeto com o trabalho em equipe.
A Linguagem corporal e qualidade na transmissão de conteúdo são temas na primeira oficina realizada na Associação Profissionalizante do Menor (Assprom) nesse segundo semestre de 2018.
Com o Objetivo de apresentar aos alunos sobre as ferramentas desenvolvedoras de conteúdos, os Universitários do curso de Comunicação do UniBH, Deborah Lima, Monique Guimarães e Tássio Santos prepararam uma oficina recheada de novidades e dicas de grande valia para os alunos da Assprom.
Durante a Oficina, os Educomuni debateram o tema voltado para as redes sociais, com um maior foco no Instagram e nas ferramentas que essa rede de interação social tem para engajamento pessoal e profissional. Os universitários e representantes do Educomunidade propuseram informações para uma boa produção de conteúdo na web, como formato do material, seja ele vídeo ou foto, identidade, fonte e criatividade, para que a linguagem corporal pudesse ser compreendida de maneira satisfatória e objetiva para o público no qual deseja alcançar.
A participação dos alunos da Assprom aconteceu de maneira amistosa e recíproca, levando como conclusão do trabalho a produção de conteúdo e efetivação das dicas apresentadas durante a oficina. Foram divididos grupos de 4 e 5 alunos, em que cada grupo deveria desenvolver uma marca e/ou produto por meio de vídeo ou projeto para um perfil no Instagram.
Para a surpresa dos representantes do Educomunidade, a criatividade dos alunos da Assprom estava bastante fluida, surgindo produtos desde o ramo alimentício até o de beleza e estética. Como forma de interação e motivação, os trabalhos apresentados foram avaliados pelos próprios colegas que davam “Like” ou “Deslike” no produto dos seus adversários.
“Aprendi bastantes coisas novas sobre o instagram que eu não sabia. O que eu mais gostei foi saber sobre o uso das hashtags”-. Ingrid Pereira Rocha, aluna da Assprom.
O like e o deslike são a tradução de uma linguagem não verbal representada por uma imagem de um “Joia positivo” ou “Joia negativo” presente nas mais variadas redes sociais, como facebook, twiter e instagram, que significam se o usuário ou o público curtiu ou não o produto ou a informação apresentada.
“A oficina linguagem corporal e a qualidade na transmissão de conteúdo no instagram foi uma oportunidade que abrangeu o uso de mais de uma forma de comunicação a ser utilizada pelos alunos. O projeto Jovens Jornalistas, contribuiu muito para que os adolescentes compreendessem a utilidade do instagram e a sua extensão na publicidade de uma instituição ou pessoa”-Flávia Fontenelle, Professora da Assprom.
Texto: Tássio Santos
Orientação: Ana Rosa Vidigal

Falando de tempo e etc.

Desde muito nova sempre fui fascinada por história. Há algo no passado que me encanta. Acho que é o seu valor e a maneira como estes registros se perpetuaram durante todo o tempo até chegarem nos dias atuais, até chegarem em mim.
Dias atrás fui visitar o museu da minha cidade. Moro a quase oito anos em uma pequena cidade do interior de Minas e nunca tinha ido visitar o museu Dona Mariana da Costa, localizado bem no centro da cidade. Quando entrei, logo veio aquela conhecida sensação nostálgica. Pude sentir o cheiro da velha madeira encerada, o modo como os objetos foram postos. Observei atentamente cada item, tentando captar aquele período, a época, alguma coisa que me fizesse sentir algo. E eu senti.
Lá não possui uma história cronológica a ser seguida e sim itens antigos dos fundadores da cidade com suas respectivas datas. Itens datados com mais de 100 anos de história. O cuidado, a preservação, a maneira em que foram expostos, é incrível! A história ainda vive e quando vamos ao museu podemos sentir isso.
Acredito muito que se você quer conhecer o mundo é necessário que conheça primeiro o que está perto de você, entenda o seu valor histórico e valorize-o, por menor que seja e, então, você estará pronto para conhecer o mundo.
Texto: Cintya Juliana
Orientação: Ana Rosa Vidigal